eliz

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Compartilhando meu primeiro ménage masculino

Já fazia um tempo que tinha esta fantasia: um ménage masculino. Mas como criar coragem para iniciar a procura de um casal que tivesse a mesma fantasia.
Depois alguns meses, literalmente, numa sala de bate papo encontrei um casal, que chamarei de Edu e Marta. Ambos com trinta e poucos anos, loiros, ela com 1,60 de altura, 65 kg, seios e bumbum grandes.Tinham também a fantasia de um ménage masculino mas ela não tinha coragem de realizar.
Por várias vezes conversei com o Edu, ele sempre muito aberto e determinado, mas sempre dizendo que a Marta morria de medo, de vergonha, pois apesar de fantasiar ter outro homem, nunca tinha transado com outro cara a não ser o Edu. E nem saberia como fazer isso na presença dele.
Ele me dizia que estava quase convencendo ela a tirar umas fotos para criar um anúncio e ver qual seria a receptividade a proposta deles. Nisso eu tive a seguinte idéia: mesmo se não rolar nada com esse casal, seria legal ver eles transando e tirar as fotos. Fiz a seguinte proposta ao Edu: a gente poderia se encontrar e eu me apresentar como um fotógrafo para as fotos que eles estavam querendo tirar. Se ela se sentisse a vontade comigo durante a conversa poderíamos partir para as fotos. O Edu aceitou logo de cara, mas disse que iria conversar com a Marta.
Uns dias depois ele me manda um e-mail dizendo que ela tinha aceitado, mas que gostariam muito de me conhecer pessoalmente antes para não ter nenhum tipo de problema. Retornei o e-mail com o número do meu celular, pedindo pra ele ligar e a gente combinar direito como faríamos. Na mesma noite ele me ligou e ficamos conversando por um bom tempo. Combinamos de no final de semana seguinte nos encontrar em um barzinho na região da Vila Madalena.
No dia combinado me arrumei todo, peguei minha câmera e segui para o local combinado. Ao chegar eles já estavam a minha espera. Me apresentei a eles, tentei ser o mais simpático possível para deixar o clima bem amistoso. Ficamos conversando sobre vários assuntos até que o Edu começar a falar sobre as fotos. A Marta disse que estava receosa ainda, mas eu tentei tranquilizá-la ao máximo, dizendo que eles poderiam ficar tranquilos, as fotos assim que fossem tiradas seriam salvas em um CD e entregue a eles.
Um pouco depois a Marta faz um sinal de positivo para o Edu e ele me diz que estão prontos para seguir e tirar as fotos. Perguntei a eles onde pretendiam ir e eles disseram que um motel seria o mais indicado. Eu estava muito excitado com toda aquela situação e percebi que eles também estavam.
Algumas vezes durante nossa conversa peguei Marta me olhando de uma forma diferente. Seguimos no carro deles a um motel na região da Raposo Tavares. Logo chegamos e eles pediram uma suíte. Entramos e eu fui logo para um canto do quarto para deixá-los a vontade. Marta e Edu ficaram um tempinho na cama conversando e logo ela disse que iria se arrumar. Pegou sua bolsa e entrou no banheiro.
Nisso, cheguei perto do Edu e perguntei como ele gostaria de que as fotos fossem tiradas. Ele disse que nada assim muito especial, algumas fotos sensuais dela e algumas deles transando. Disse a ele que tudo bem e peguei a câmera para deixar tudo pronto.
Nisso, Marta sai do banheiro. Já havia reparado nela no barzinho, mas da forma que ela apareceu me deixou até sem ação: uma roupa de enfermeira que deixava as pernas bem a mostra e um decote de parar o trânsito. Só voltei ao normal quando o Edu que estava do meu lado disse:
- “Pena que ela não topou ainda o ménage. Eu queria muito mas ainda não consegui. Ela iria gozar demais com 2 caras...
Pedi ao Edu que fosse comandando as fotos, como ele queria, qual local ele achava mais legal, quais posições ela faria. Foi tudo fluindo muito bem. E confesso que as fotos estavam ficando muito sensuais. A Marta tem um sorriso lindo, era muito fotogênica. E também estava curtindo bastante esse momento.
Depois de várias fotos, o Edu disse que queria começar a tirar as mais excitantes. Marta olhou para ele e disse que tudo bem. Ai eu resolvi tomar conta da situação. Pedi que eles tentassem me ignorar ali e agir o mais natural possível, deixar que a excitação os levassem.
Logo eles começaram a se beijar, deitaram na cama e ficaram se acariciando por um tempo. Eu percebi que a Marta não estava se sentindo a vontade e perguntei a ela o que estava acontecendo. Ela me disse que estava achando estranho demais um homem ali, vendo um momento íntimo deles. O Edu ficou falando com ela para tranquilizá-la e fiz o mesmo.
Depois de uns minutos, já estava tudo normal novamente. Eles ficaram algum tempo se acariciando e eu ficava tirando algumas fotos. Edu tirou toda a roupa de Marta e começou a beijar seus seios. Ela começou a ficar maluca com aquilo. Quando ele chegou na xaninha dela, foi muito excitante ver como ela estava: tinha se entregado completamente a situação. Eu só aproveitando e tirando as fotos e vendo tudo aquilo. Meu lado voyer estava se realizando.
Eles começaram a transar tipo papai e mamãe durante um tempo. Eu cheguei perto deles e disse que seria legal algumas outras posições para as fotos. Eles toparam na hora. Percebi que seria uma boa oportunidade de realizar um ménage. Todas as posições que eu pedia eles estavam fazendo.
Estava um pouco de calor no quarto pois a Marta não quis ligar o ar-condicionado. Peguei e tirei minha camisa e ela ficou me olhando pois estava sentada no Edu de costas pra ele. Eu chegava bem perto dela para tirar as fotos, algumas vezes tocava em suas pernas, suas costas e ela aceitava. Pedi para que ela ficasse de 4 e ele atrás dela, que a puxasse para bem junto dele.
Tirei uma foto mas disse que não estava legal ainda. Cheguei nela e pedi que arrebitasse mais o bumbum, colocando a minha mão em suas costas e forçando para baixo. Nisso fiquei acariciando um pouquinho e o Edu percebeu. Deu um sorriso e disse que poderiam continuar. Tirei mais umas fotos com eles nessa posição mas sempre colocando algum obstáculo, dizendo que ainda não estava legal. Em um momento disse o seguinte ao Edu: “
- Quero que você faça da seguinte forma... - e tirei ele de trás dela.
Peguei ela pelo bumbum e levantei o mais alto que ela podia. Puxei ela com força contra mim que mesmo eu de calça ela sentiu meu pau duro inteirinho. Ainda forcei as costas dela pra baixo e disse que era daquela forma que ela tinha que ficar. O Edu estava olhando aquela cena e não acreditava, eu ali, encoxando a esposa dele e ela completamente entregue.
Fiquei esfregando o bumbum dela em mim durante um tempo e pedi para o Edu voltar e fazer exatamente o que eu fiz. Ao me afastar, ela me lançou um olhar de desejo que me arrepiou por inteiro. O Edu foi lá atrás novamente e eu tirei algumas novas fotos. Mas logo disse para ele parar que não estava bom ainda. Ele se afastou e eu de novo fui até ela.
Disse que eu queria que ele fizesse da mesma forma que eu iria fazer. Novamente peguei ela e puxei aquele bumbum delicioso para mim, meu pau estava quase estourando de tão duro e ela não tinha nenhum tipo de reação contrária. Eu fiquei me esfregando e falando para o Edu que eu queria que ele fizesse exatamente aquilo.
De repente eu abri minha calça, baixei ela e minha cueca, pego meu pau e aponto para aquele bumbum maravilhoso. Fiquei um pouco esfregando ele e a Marta estava completamente maluca com aquilo. O Edu pegou a câmera e começou a fotografar. Eu não tinha penetrado a Marta, ficava apenas passando meu pau nela. Ela estava ofegante, começou a se tocar e pedir para eu enfiar meu pau, que não aguentava mais aquilo.
Peguei uma camisinha, coloquei bem rápido e enfiei meu pau de uma só vez dentro dela. Ela gemia demais, falava coisas que não dava para entender direito. Terminei de tirar minha roupa e transei de todas as formas possíveis com aquela mulher maravilhosa. O Edu segui tirando fotos de tudo.
Ficamos um bom tempo apenas eu e ela, mas o Edu queria também participar. Logo ele largou a câmera e se juntou a nós. Apenas não fizemos uma DP pois ela não curtia anal. Foi minha primeira vez, mas muito excitante, pois tudo acabou acontecendo de uma forma não esperada.





Por: osservatore_campinas

Um comentário:

Anônimo disse...

Oi sou comedor. Podem vir para Campinas.
mcesar692@gmail.com
19-982996978